Damares defende que escolas discutam abstinência sexual e critica Popeye

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, defende que a educação sexual nas escolas inclua a abstinência sexual.

Para ela, ao adiar o momento da primeira da relação sexual, o jovem pode também evitar doenças como o HIV, por exemplo, e optar por um relacionamento com mais afeto.

Segundo a ministra, existe em curso no país uma “pressão social” para que as meninas afirmem ser bissexuais e que isso afeta a identidade e a saúde psicológica da criança, provocando até tentativas de suicídio. Ela disse também que filhos de homossexuais não podem ser discriminados, revela o Terra.

Em entrevista à BBC News Brasil, durante sua visita a Buenos Aires para reuniões de trabalho, Damares disse que ela mesma forma uma família atípica por ser uma mãe divorciada, mas pretende casar e até cogita entrar em aplicativo de relacionamentos. “Eu até já tirei a foto para ir para o Tinder. Cortei cabelo.”

Damares disse ter se tornado alvo no início do governo em meio a uma ofensiva para enfraquecer o presidente Jair Bolsonaro, e acabou tachada de “ministra maluca” a cada declaração.

Entre suas opiniões que mais viralizaram estão suas críticas à campanha feita por internautas para que a personagem Elza, do desenho animado Frozen, se torne lésbica na sequência. A ministra estende as críticas a diversas animações, como Pica-Pau e Popeye. “Tratavam a Olívia como objeto”.

01/05/2019

(Visited 7 times, 1 visits today)